2 de abr de 2010

O outro lado do Morro Santana

Para milhares de porto alegrenses, o Morro Santana é protagonista de uma paisagem que se repete diariamente. Ele é contornado pelas avenidas Protásio Alves, Antônio de Carvalho e Bento Gonçalves. No entanto, poucos são os portoalegrenses que conhecem a paisagem encoberta pelo morro. Pensando nisso surgiu a ideia de trazer pro blog 'O outro lado do Morro Santana', série fotográfica que tu acompanhas agora.

A caminhada foi realizada ontem, exatamente às 12:02. Dia quente, sol próximo ao zênite e apenas um litro d'água. É, 1° de abril tem disso... O início é fácil. A trilha é larga e relativamente plana. Aos poucos, no entanto o mato vai fechando.

pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Após uns quinze ou vinte minutos de caminhada, surge a primeira encruzilhada. Sinceramente não lembrava dela.

Decidi tomar o caminho da esquerda. Quando percorri o Morro da última vez (há uns quatro ou cinco anos) a trilha não era tão fechada. Era comum naquela época a prática de motocross, o que era facilmente perceptível por pedaços de carenagens, óculos de proteção, entre outros. Lembro de não ter sido perturbado por insetos. Achei estranho na época, devido ao grande volume de árvores e arbustos. A trilha tinha sido percorrida em um período de poucas chuvas (dezembro, se não me engano). Situação diferente da encontrada agora. A trilha ainda estava úmida em muitos pontos da mata, além de várias poças d'água. No morro, a copa das árvores é alta, chegando muitas vezes a impedir a orientação pelo sol. Nesses momentos é melhor confiar na trilha. Quanto aos insetos... bom, onde há água, há insetos. Onde há insetos, há predadores: aranhas e pássaros.

trekking no Morro Santana em Porto Alegre, RS

A trilha (já não mais uma trilha, mas na verdade uma linha de talvegue) torna-se cada vez mais traiçoeira. Os sulcos que moldam a trilha são um convite a uma lesão no tornozelo. Eles são formados pela água da chuva (descendo o morro violentamente).

pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Mais dez ou quinze minutos e encontro nova bifurcação (imagem acima). Tinha tomado a decisão certa anteriormente. Estava na rota correta. Escuto passos vindo em minha direção: o homem que cruza o meu caminho é de meia idade e carrega um tronco de uma árvore que parecia ter uns 3m de comprimento e uns 10cm de espessura. Pareceu tão assustado com a minha presença quanto eu com a dele. Cada um seguiu seu caminho. Embora sozinho, decidi continuar subindo pela linha de talvegue.

Pego o caminho à esquerda com a certeza de estar próximo do destino. Deste ponto em diante o terreno torna-se ainda mais íngreme e os sulcos chegam a 40 ou 50 centímetros de profundidade. Depois os sulcos praticamente desaparecem e a trilha torna-se mais larga. Mas a quantidade de pequenas bifurcações aumenta até que finalmente encontro o limite da floresta com o campo. Novamente a linha de talvegue reaparece. A imagem abaixo apresenta a floresta que deixei para trás, bem como a linha de talvegue utilizada como referencial.

trekking no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Subindo um pouco mais já se observa a Cidade de Viamão, a leste, município que integra a Região Metropolitana de Porto Alegre. A foto abaixo mostrando novamente o caminho percorrido, mas já com visibilidade da cidade vizinha.

pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Feito o registro, retomo à caminhada na tentativa de registrar uma imagem de Porto Alegre. Uma boa perspectiva da Capital é obtida atingindo o topo do morro, no alto dos seus 314 metros de altura. No entanto, não havia recursos suficientes para atingir esta marca naquele momento. A intenção era conseguir uma imagem na cota em que me encontrava. A imagem abaixo apresenta a minha posição em relação ao topo do morro (se não me engano, lente apontada pro noroeste). Daquele ponto, o topo do morro poderia ser alcançado em aproximadamente 50 minutos.

trekking no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Nesta região me impressionou a quantidade de grilos que se encontrava nesta vegetação rasteira. Fiquei com a sensação de que se banhavam ao sol. Eventualmente escutava sons na vegetação rasteira. Poderiam ser teiús? Pude apenas especular, pois não permitiram a minha aproximação. A imagem abaixo apresenta a paisagem sul (ou sudeste) perceptível daquela marca.

pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Cruzando o campo observa-se a vegetação próxima à trilha tornar-se mais alta. Levaria-se uns 10 minutos para cruzar o campo pela trilha, mas o sol neste ponto é muito forte. Quase não há vento e o desgaste a essa altura (devido à inclinação do terreno percorrido) exige um descanso: o terceiro, na verdade. Terminado o descanso embaixo de uma árvore estrategicamente posicionada junto à trilha e bem no meio do campo, volto à caminhada. Logo atinjo a mata sem avistar o abacaxizeiro que utilizei como ponto de referência da última visita ao morro. Certo de que estava onde deveria estar, concluí que a mata tinha se encarregado de escondê-la. A trilha, aliás, em certos pontos estava praticamente inacessível.

trekking no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Continuei avançando pelo que sobrara da trilha. Aos poucos ela foi-se abrindo (ver foto abaixo). Adiante, mais uma encruzilhada: pegando o caminho da direita, atingiria o topo (o que não era meu objetivo). Seguindo reto, imaginei poder avistar a Cidade, pois podia ouvir os sons produzidos por ela.

pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS

No entanto, aos poucos percebi o ruído da cidade se afastar gradualmente, ao mesmo tempo em que a mata não dava sinais de que permitiria uma imagem da Zona Leste da Capital. Decidi retornar ao campo, pois de lá era possível ver algumas construções. A verde paisagem do campo é bela, mas traiçoeira. Para avistar a Capital, precisaria chegar a um grupo de árvores (imagem abaixo) distante a uns 500 metros - talvez - da trilha. Caminhando perpendicularmente à trilha observei a vegetação crescer rapidamente, chegando à altura dos joelhos e mais à frente na altura da cintura.

caminhada no Morro Santana em Porto Alegre, RS

As árvores que antes pareciam pequenas, na verdade se encontravam em uma depressão (em relação ao plano da trilha).

trekking no Morro Santana em Porto Alegre, RS

Percebendo que não seria possível capturar a imagem com o tempo disponível, e considerando que o objetivo da jornada era apresentar a paisagem leste do Morro Santana, tomei como concluída a jornada. Ficará para uma próxima oportunidade a captura das imagens de Porto Alegre, desta vez do topo do morro.

fotos do trekking caminhada pedestrianismo no Morro Santana em Porto Alegre, RS, Carlos Ribeiro, Vivendo Porto Alegre Porto Imagem

Avaliar:

12 comentários:

Muito bom o teu relato, cara.

Apesar de nunca ter me aventurado assim, tenho muita curiosidade para conhecer os morros de POA.

Sabes se há alguma cachoeira no Morro Santana?

Gostei do blog, abraços.

Olá, eduardo!

A primeira vez que eu subi no Morro Santana, junto com os meus colegas da UFRGS, nós procuramos uma cachoeira (nós ouvimos falar da sua existência).

Nosso trajeto percorreu a parte mais íngreme partindo da entrada do Campus do Vale.

Percorremos trilhas que passavam (aproximadamente) nos fundos da Faculdade da Veterinária.

O que vimos foram linhas de talvegue. Algumas muito profundas, o que faz pensar que em dia de chuva a água deve descer com muita força e rapidamente.

Nestas condições se formam cachoeiras, devido à topografia do terreno. Mas nós não encontramos nenhuma nascente por aqueles lados.

Talvez haja uma cachoeira na face oposta do morro, junto à Estrada Caminho do Meio (continuação da Protásio Alves). É uma região bastante úmida. Talvez tenha algum lençol freático por ali.

Um grande abraço!

Interessante.

sobre esses talvegues, já os vi em algumas fotos e vídeos, principalmente relacionados a isso:

http://www.youtube.com/watch?v=dYkTisC_iro&feature=related

suspeito muito que a origem desses talvegues esteja no pneu das motos, infelizmente. mas como não sou geólogo nem nada, posso estar falando merda, hehehe.

Abraço

Uma linha de talvegue é um sulco criado pela ação das águas em uma depressão.

Com certeza a prática de motocross colabora para o processo de erosão do local do vídeo (tem uma foto nesta postagem que é do mesmo local).

Muito legal o vídeo.

Grande abraço!

Como sempre, estou comentando com certo atraso, motivado pelo pouco tempo que dedico à Internet, mas sempre que entro nela, visito este blog pelas matérias interessantes que contem, bem como pelas fotos de locais que, muito embora vivamos na Cidade, não a conhecemos inteiramente. Parabéns, pela matéria, muito boa, mas de certa forma arriscada, não aconselhando seja feita sozinho, acidentes acontecem e encontros inesperados também.

Amigos
Sim, temos cachoeiras e cachoeirinhas. Eu fiz o registro fotográfico da cachoeirinha (hoje localizada dentro da área do Eco Urban Resort - Santa Isabel).
Visitei, com o apoio de moradores do entorno, que conhecem bem a região a maior de todas. Infelizmente, neste dia eu não estava com o equipamento de foto.
Os meus registros estão no panoramio e no you tube.

Como faz pra ir... parte da onde... precisa de autorizaçao de alguem... da pra chegar ate o observatorio...

Jacques,

eu achei muito legal o teu blog e o teu perfil no Panoramio. Então realmente existe uma cachoeira no Morro Santana (mas ainda não consegui me localizar pelas fotos).

Grande abraço!

Olá Diego.

Nas duas vezes que eu subi eu fui pelo mesmo caminho (próximo ao portão principal de acesso ao Campus do Vale).

Eu fui com três objetivos: ver Porto Alegre do alto; ver o observatório e encontrar a cachoeira.

O Jaques pode te falar melhor sobre a cachoeira, pois ele encontrou. Eu acredito que deve ser possível chegar no observatório pela Protásio Alves.

Eu sei que se tu pedir autorização para a administração do Campus do Vale (Prefeitura do Campus) lá na UFRGS para subir o morro, eles não vão deixar.

Hoje eu sei que tem uma câmera de monitoramento no local que eu usava para subir no morro.

Grande abraço!

Adiantando um pouco do conteúdo do próximo livro sobre a Santa Isabel, cito a EVEL, por exemplo. O que significa a sigla EVEL? Empresa de transportes Veraneio Ltda. Pois esta é uma referencia que confirma que o local já foi uma estancia com atrações hidro-minerais que atrais diversas pessoas de´várias partes de Porto Alegre e RMPA.

Bom te ver. Carlos Ribeiro. Parabéns pelo teu trabalho.
Abraço.

Existem 3 cachoeiras no Morro santan a mais alta fica localizada ao fundo da Ufrgs, bem no centro da mata, tem uma queda de 3mts, mas nos meses muito quentes do verão ela some por entre o sub solo