2 de mar de 2011

Assumindo riscos


A Avenida Protásio Alves perde o seu canteiro central após a rótula com a Avenida Manoel Elias. O corredor de ônibus termina bem antes, no cruzamento com a Avenida Saturnino de Brito. Após a rótula com a Manoel Elias, a Avenida Protásio Alves torna-se perigosa e traiçoeira. São muitos os problemas neste trecho: sinalização deficiente, falta de um acostamento, ausência de fiscalização, etc.
Veículos leves disputam a pista simples com veículos pesados, que trafegam em baixa velocidade nas várias subidas do traçado.
Controlador de velocidade
Nos últimos anos foram instaladas algumas sinaleiras para organizar o trânsito. Recentemente foi instalado um controlador de velocidade, o popular "pardal".
No entanto, os sensores não foram instalados próximos um do outro. Ou seja, invandindo a pista contrária é possível evitar a leitura do controlador. Será uma questão de tempo até que algum acidente aconteça em função desta disposição do controlador de velocidade. O vídeo abaixo, aliás, é deste trecho, estando o primeiro controlador de velocidade à direita do vídeo (sentido Viamão - Porto Alegre). O controlador de quem trafega no sentido oposto (Porto Alegre-Viamão), encontra-se à esquerda da imagem, no final do vídeo. O vídeo não mostra este controlador com clareza, mas é possível observar a distância entre os dois postes.
No vídeo acima, ônibus reduz sua velocidade até parar. O veículo aguarda o momento para poder fazer uma conversão à esquerda, cumprindo assim seu itinerário. Os veículos que vêm atrás - impacientes com a velocidade do ônibus - realizam ultrapassagens em local proibido. Ultrapassar neste trecho da Protásio Alves a partir do cruzamento da Manoel Elias é assumir um grande risco.
Em direção à Viamão
A Avenida Protásio Alves acaba se transformando na Estrada Caminho do Meio, sob a jurisdição do Município de Viamão. A partir deste ponto a situação se agrava. Junto ao cruzamento com a Rua Moema, os cuidados devem ser redobrados, pois a visibilidade é prejudicada pela topografia do terreno, pelo traçado das vias, além da sinalização praticamente inexistente. Em todo o percurso, quase não há acostamento, ou este se encontra em péssimas condições de conservação.

Avaliar:

0 comentários: